Páginas

Quem sou eu

Minha foto
BELÉM, PA, Brazil
Sou Engenheiro Agrônomo, Doutorando Em Desenvolvimento Econômico, Território E Meio Ambiente, Mestre Na Área De Gestão Dos Recursos Naturais E Desenvolvimento Local Na Amazônia, Especialista Em Educação Ambiental E Uso Sustentável Dos Recursos Naturais, Graduando Em Licenciatura Plena Em Física E Docente Do Magistério Superior Na Área De Economia E Desenvolvimento Agroflorestal Na Universidade Federal Do Pará.

sábado, 9 de outubro de 2010

Eleições em Temas


ELEIÇÕES EM TEMAS
Chama-me a atenção a conjuntura política atual que estamos vivendo, mas o que mais me chama a atenção é o retorno no tempo que estamos vivenciando, um dia há tempos que para uns longínquos para outros nem tanto assim, a estrutura de poder era centralizada, ou seja, o Papa era o religioso, o governador, o Rei e ainda lembrado tempos atrás os Césares eram tratados como DEUS. Dentre os que consideram não tão longínquos estes tempos estão Seres Humanos que mergulham dentro de si mesmo para encontra a melhor maneira de viver dias melhores, ai está pessoa mais discreta, mais capaz de se autocrítica e que buscam em si mesmo o que fazer para contribuir com a sociedade, eu particularmente tenho admiração por estas pessoas e venho procurando uma forma de um dia me encontrar nesta condição, por sinal. Já aqueles que tratam Estes tempos como longínquos estão pessoas mais críticas, pessoas que disputam a hoje “descentralizada” estrutura de poder, disputam para ser o Papa, disputam para ser o Pastor, Disputam para se eleger a um cargo no legislativo ou no executivo, ou seja, hoje se vende a existência de uma democracia, mas será que ela realmente existe no Brasil, pois vejo que esta bem distante de isso que vivemos hoje ser um processo verdadeiramente democrático, não vejo que a permissão de candidaturas como as de “mulher pêra” e “tiririca” representem democracia,assim como a candidatos corruptos,pois a corrupção não é só no roubo que se promove com o dinheiro público,mas é também a corrupção da falta de oportunidade para o Pobre, o crescimento das desigualdades.
Nas linhas que escrevo acima, faço questão de relacionar as questões de religião, estruturas de poder e cronologia, pois o momento que estamos vivendo hoje afirmo acima é um retorno em tempos atrás, pois o tema do ABORTO,os 20 milhões de votos da MARINA e o crescimento da bancada evangélica que entre seus próprios corredores disputam votos na sociedade,representam uma nova reflexão para a conjuntura atual.Serra e Dilma agora estão em busca dos votos da Igreja,será então que de forma indireta o poder da Igreja esta retomando seu espaço,espaço que sempre teve,mas não tão explícito nos pelo menos 15 anos que se passam,o domínio da Igreja Católica sempre foi grande,mesmo sem formar bancadas com membros seus diretos.Segundo professora da UFRJ* por João Peres,da Rede Brasil Atual  “O mundo evangélico é de extrema disputa de poder. Um universo muito pragmático onde as disputas são muito acirradas e levadas para fora do templo”,essa fala é muito interessante,pois vimos que o movimento evangélico no Brasil reproduz em seu universo espiritual,as disputas e divergências políticas que lhes cerca,muitas vezes dentro da própria religião como afirma professora da UFRJ dizendo que “a Assembléia de Deus, à qual se integra Marina Silva, não tem uma posição coesa em torno de candidatura nas eleições,há pastores com diferentes posições.A Igreja Universal, por outro lado, é vista como uma instituição de caráter mais centralizado, de discurso mais homogêneo”.
Minha reflexão aqui conta com a presença da pergunta acerca do poder das igrejas e o retorno deste em momentos decisivos para a conjuntura do maior e mais influente país da America Latina e que hoje se encontra em uma posição altamente estratégica.Religião e estruturas de poder,onde esta a balança da justiça?
*Professora da UFRJ entende que líderes religiosos tentam forçar candidatos a assumir compromissos futuros em torno de temas morais, como o aborto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário