Páginas

Quem sou eu

Minha foto
BELÉM, PA, Brazil
Sou Engenheiro Agrônomo, Doutorando Em Desenvolvimento Econômico, Território E Meio Ambiente, Mestre Na Área De Gestão Dos Recursos Naturais E Desenvolvimento Local Na Amazônia, Especialista Em Educação Ambiental E Uso Sustentável Dos Recursos Naturais, Graduando Em Licenciatura Plena Em Física E Docente Do Magistério Superior Na Área De Economia E Desenvolvimento Agroflorestal Na Universidade Federal Do Pará.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

UM ESPAÇO PARA EXAMINAR

Quem será no mundo atual o mais capaz de produzir coisas realmente interessantes?Serão os físicos com suas buscas incessantes e por sinal muito interessantes, serão os biólogos em suas novas descobertas a cada dia, relacionando e catalogando novas espécies, serão os químicos que em suas fusões, difusões, combustões e outros "ões” apresentam novos elementos capazes de complicar os físicos e os biólogos, os médicos, geneticistas ou outros muitos que dentro daquilo que se conhece como ciência clássica desenvolve sua função. Serão produtores de coisas interessantes os religiosos, aquele que se dispõe a mostrar a beleza da obra divina na terra através da fé e promove coisas inestimáveis que só quem realmente acredita é capaz de ver?Serão ainda os promotores de coisas interessantes os ambientalistas, que hoje vivem com sede de garantir suas teorias para as mudanças climáticas no planeta e se entrelaçam como políticos em convenções para mudar o caráter predatório e muitas vezes de degradação que existe na natureza?Será ainda que os verdadeiros promotores de coisas interessantes são os políticos que em assembléias,parlamentos,congressos e outras casas decidem as leis e aquilo que o individuo ou cidadão deve fazer?Quem será o verdadeiro promotor de coisas interessantes?
            Este meu questionamento é fruto de algumas leituras que venho fazendo, dentre elas esta o “Tao da Física”, de Fritjof Capra, em que o autor faz um paralelo entre a física e o misticismo oriental. Ao entrar nesta leitura, me deparei com uma condição interessante, o autor mostra que muito do que a física quântica e a física relativística apresentam como elementos, as religiões orientais já apresentavam em sua visão de mundo. Neste momento é que surgiu meu questionamento do verdadeiro produtor de coisas interessantes, vejo que todo o conhecimento produzido por todas as áreas tem seu interesse e sua peculiaridade, mas o que me despertou ainda mais a leitura foi que nos dias atuais muito estudo e muita teoria é desenvolvida para se encontrar as mais diversas coisas e que todas são interessantes, ou seja, todas as produções são importantes e fundamentais para o funcionamento da obra do Arquiteto do Universo.
É bastante provável que na história do pensamento humano os desenvolvimentos mais fecundos ocorram, não raro, naqueles pontos para onde convergem duas linhas diversas de pensamento. Essas linhas talvez possuam raízes em segmentos bastante distintos da cultura humana, em tempos diversos, em diferentes ambientes culturais ou em tradições religiosas distintas. Dessa forma, se realmente chegam a um ponto de encontro - isto é, se chegam a se relacionar mutuamente de tal forma que se verifique uma interação real-, podemos esperar novos e interessantes desenvolvimentos a partir dessa convergência. (Werner Heisenberg)
 Diante dos questionamentos que me fiz e no conjunto com a leitura que venho realizando, lembrei-me dos alquimistas. Os mitos que muitos contam, falam que os alquimistas com o sal, o enxofre e o mercúrio transformavam metais brutos em ouro, mas isso é verdade ou não?É verdade sim, mas o metal bruto é o homem em sua condição evolutiva e o ouro o homem que alcançou sua iluminação, pois o mercúrio e o enxofre serviam justamente para retirar as impurezas que existem no metal, ou seja, retirar os vícios que existe no homem e o sal para unir o que ficou de puro do metal, ou seja, para unir as virtudes do homem, assim como é dito  em que somos o "sal da terra”. E por que dos alquimistas?Falo deles porque eram seres que viam o mundo em um universo sistêmico, ou seja, que tudo que se fazia desde o comportamento de uma folha, até a evolução de um elemento químico ou mesmo do ser humano, eram tudo fruto de uma interligação entre todos os elementos da natureza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário